Centenas de pacientes do programa DST/AIDS podem ser prejudicados com o fechamento do PAM Salgadinho

PAM

A celeuma sobre o fechamento do PAM Salgadinho pode ser ainda maior. O pedido de “interdição ética” feito pelo Conselho Regional de Medicina e acatado pela prefeitura municipal de Maceió pode atingir diretamente, além, dos mais de 500 servidores, as centenas de pacientes, entre eles os do programa DST/AIDS.

Segundo a servidora do PAM Salgadinho, Carla Barbosa, que trabalha especificamente com os pacientes do programa DST/AIDS, o fechamento da unidade está causando vários problemas aos servidores, como também aos pacientes do Bloco I.

“Esses pacientes necessitam de uma atenção especial, e até agora nem o governo, nem o secretário falaram o que vai ser feito com eles, se aqui no PAM não tem estrutura adequada, qual posto vai ter para atender esses casos específicos?”, indagou Barbosa.

Ainda, segundo a servidora, muitos dos pacientes do programa DST/AIDS já estão pedindo transferência aos médicos para o HDT-HU, porém essas unidades estão se recusando a receber, pois já não comportam mais pacientes.

A falta de acompanhamento e atendimento pode agravar o quadro clínico desses pacientes.

“Não há uma definição sobre o que será feito com esses usuários do programa, e a secretaria também não definiu o que será feito com os prontuários e diagnósticos desses pacientes que precisam de acompanhamento constante”, afirmou à servidora.

Na última terça-feira (26), o secretário municipal de Saúde, José Thomaz Nonô, afirmou que o fechamento do PAM Salgadinho foi uma medida tomada após a interdição ética do prédio pelo Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal) devido a necessidade de realização de reforma e recuperação do local.

Apesar do pedido do Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal) e do acatamento do município, várias entidades se posicionam contrárias ao fechamento do PAM Salgadinho, entre elas o Sindicatos dos Nutricionistas, dos Assistentes Sociais e o SINDPREV, além do Conselho Regional de Psicologia, Conselho Municipal de Saúde e Conselho Regional de Enfermagem.

Para essas entidades é necessários considerar que existem vários blocos com estrutura para continuar atendendo à população.

Quem também tem se sensibilizado com a situação do PAM Salgadinho, dos servidores e pacientes é o Desembargador Tutmés Airan que defendeu, recentemente, que a Prefeitura de Maceió mantenha o atendimento, mesmo durante a reforma do prédio.

Novos protestos e reuniões devem ocorrer para discutir a situação.

Em tempo: Santa Casa de São Miguel informa que disponibilizará até o dia 07 de março o resultado da primeira fase de seleção para trabalho na UPA. A data foi prorrogada devido ao grande número de currículos recebidos.

Cada Minuto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0